top of page

Qual o conteúdo de desenvolvimento mais adequado num mundo incerto e mutante?

O ambiente de negócio muda cada vez mais rápido e com pouca previsibilidade. Para que as empresas prosperem nesse ambiente são necessário colaboradores com as competências adequadas para esse ambiente, propomos aqui como encontrar o conteúdo certo para ser utilizado.

Mulher com uniforme flutuando em cabine
O futuro já esta presente!

Se você tem responsabilidades no desenvolvimento de pessoas a angustia de antever o que será necessário é uma sensação constante. O mundo muda de todos os lados e a cada instante novas informações chegam, criando incertezas sobre o que, como, quando e com quem investir os recursos justos para desenvolvimento dos colaboradores


Antes de prosseguirmos é importante entender que é da natureza humana buscar o máximo de previsibilidade como bem descrito na citação de Zygmunt Bauman (Sociólogo e escritor, criador do conceito de Modernidade Liquida):

“A incerteza é o habitat natural da vida humana - ainda que a esperança de escapar da incerteza seja o motor de atividade de atividades humanas. Escapar da incerteza é um ingrediente fundamental presumido, de todas e quaisquer imagens compósitas da felicidade genuína, adequada e total sempre parece residir em algum lugar à frente: tal como o horizonte, que recua quando se tenta chegar mais perto dele.”

Agora que você está menos solitário com a sua angústia, vamos pensar em como solucionar a questão inicial.

Por sorte, a solução para este tipo de situação já foi encontrada há muito tempo e testado exaustivamente. Porém só recentemente passamos a ter ferramentas para utilizar essa solução no desenvolvimento de pessoas.

Vamos pensar num ambiente muito mais caótico e incerto do que o que temos agora, com tempestades elétricas, chuva ácida, meteoros, vulcões e furações e tudo ao mesmo tempo.


Ok, não havia oscilações na bolsa, Covid-19 e políticos amorais no cenário.

Mas no meio de tudo isso a vida surgiu, foi prosperando, modificou e ajudou a estabilizar o ambiente.

Resumindo a estratégia evolutiva provou-se muito adequada sob as piores circunstâncias.

Espero que você não esteja achando que estou propondo alguns milhões de anos num mundo caótico para que você descubra o conteúdo certo da sua próxima trilha de cursos, nem que isto surgiu do nada.


O que estamos fazendo é uma forma de design: a biomimética . Baseada na natureza esse “design” utiliza soluções encontradas pela natureza para ajudar na solução de problemas humanos nas mais diversas áreas particularmente na engenharia e arquitetura.

Neste caso vamos usar a solução (evolução) dada pela natureza para ter sucesso num mundo altamente caótico e incerto e suscetível a mudanças a qualquer momento como bem descrito por Nassim Nicholas Taleb autor de Cisne Negro e "Antifrágil" (veja mais em: https://www.fooledbyrandomness.com/)

O que a evolução nos ensina fundamentalmente é que permitindo o surgimento de variações recorrentes (mutações) quando ocorrem novas demandas, as variações que forem mais adequadas a essas novas condições serão aquelas que irão prosperar em detrimento de variações menos adequadas a essa nova situação.

Aplicando a biomimética na criação de um modelo adaptativo

Então aplicar este modelo para desenvolvimento significa basicamente permitir o surgimento de variações em conteúdo, permitindo que aqueles mais adequados prosperem e que os menos adequados pereçam.

Para isso é necessário expor o maior número inicial de propostas de desenvolvimento e trazer a participação dos usuários para a determinação do que é percebido como mais adequado por eles.

Essas propostas de desenvolvimento podem ser as já existentes e mais variações delas (mutações) ou ainda um conjunto amplo de propostas no caso da inexistência de tal conjunto (criação)

Esse conjunto de propostas e suas variações é então exposto ao uso ou a avaliação do maior conjunto de interessados que as escolhem durante um período definido e com limitações e regras (por exemplo total de horas de conteúdo e/ou gama de assuntos).

Após essa primeira rodada, realizada em período curto ou de médio prazo, separamos os resultados em 3 grupos; muito demandados, demandados e pouco demandados.

O grupo muito demandado será mantido.

O grupo demandado será “mutado” em pelo menos duas versões aproximando-o do conteúdo do grupo mais demandado, mas ainda diferentes desse.

O grupo pouco demandado será extinto.


Partimos então para uma segunda rodada observando a utilização ou demandas desses conteúdos para novamente definirmos os três grupos de demanda, aplicando a mesma regra anterior para manutenção, mutação ou extinção.

Esse processo continua se repetindo até que não se observe mudança consecutiva no grupo de alta demanda desde que não exista nova situação externa que sinalize a necessidade de encontrar solução mais adequada (mudança do ambiente).

Veja que estamos realmente criando um modelo evolucionário, permitindo que o mais demandado prospere e o que não for percebido como necessário irá perceber.

Existem armadilhas aqui, particularmente no caso da qualidade dos conteúdos e formas de aplicação não estarem normalizados.

A aplicação de tal solução só se tornou tecnicamente viável a partir da disponibilidade de redes sociais para empresas animadas pela gamificação de processos e com a atual alta disponibilidade de conteúdos e formatos de treinamentos.

Quer saber mais se registre abaixo é receba o texto com mais detalhes quanto a ferramentas e formas de aplicação.




 

4 visualizações0 comentário
bottom of page